Comunicação como Sustentação Essencial

Todo programa precisa da adesão das pessoas para ter êxito em seus propósitos e, assim, a comunicação assume papel preponderante, desde o início da implementação. Especialmente, no caso do Compliance, ela desempenha uma função imprescindível, pois, além de disseminar a informação, contribui no convencimento geral, devido às inevitáveis mudanças de hábitos e estabelecimento de novos paradigmas.

A comunicação eficaz adotará formatos, linguagem e abordagem peculiares para abranger, adequadamente, os públicos interno e externo. A regularidade será um fator decisivo de sucesso, pois se admite não ser possível convencer as pessoas da "noite para o dia". Considerando-se as preferências individuais, variar a forma, inovar em conteúdo e mesclar os veículos de comunicação tornam-se indispensáveis para esse processo atingir e sensibilizar todos os públicos.

No âmbito do Compliance, a recomendação mais importante relativa à comunicação indica estruturá-la de forma impecável, criando um processo e, assim, tornando-a profissional. Isso significa investir num planejamento consistente, desde a identificação dos vários públicos-alvo, a definição dos objetivos, a criação da estratégia, a elaboração de um plano de comunicação com responsáveis e prazos, até o estabelecimento de uma forma de acompanhamento, ajustes e implementação das medidas de melhoria.

Obter o apoio da Alta Direção na alocação de recursos necessários para uma comunicação adequada torna-se crucial. Além disso, envolvê-la nos conteúdos, não só na aprovação, mas também na aparição para toda a organização, denota uma prática fortemente recomendável.

Inovar na comunicação revela-se imprescindível na manutenção do interesse de todos os públicos. Assim, cabe considerar as diversas alternativas disponíveis, desde que em sintonia com os objetivos e estratégia da organização.

Esse texto foi baseado no conteúdo do livro "Compliance – A excelência na prática" de Wagner Giovanini. Para saber mais, acesse a página do livro aqui.